China

Sobre o País

  • Capital
    Pequim
  • Idioma
    Chinês e Mandarin
  • Fuso Horário
    UTC+8
  • Moeda
    Renminbi (Yuan)
  • Cidades
    Xangai, Pequim, Beijing

Brasileiros na China

República Popular da China também conhecida simplesmente como China, é o maior país da Ásia Oriental e o mais populoso do mundo, com mais de 1,36 bilhão de habitantes, quase um quinto da população da Terra. É uma república socialista, governada pelo Partido Comunista da China sob um sistema unipartidário.

Sua paisagem é variada, com florestas de estepes e desertos (como os de Gobi e de Taklamakan) no norte seco e frio, próximo da Mongólia e da Sibéria (Rússia), e florestas subtropicais no sul úmido e quente, próximo aoVietnãLaos e Mianmar. O terreno do país, a oeste, é de alta altitude, com o Himalaia e as montanhas Tian Shan formando fronteiras naturais entre a China, a Índia e a Ásia Central.

Principais Cidades

Pequim é a capital da República Popular da China e uma das metrópoles mais populosas do mundo. Em 2013 a população da cidade foi estimada em 20 150 000 habitantes. A cidade, localizada no norte da China, é governada como uma municipalidade diretamente controlada pelo governo nacional, com 14 distritos urbanos e suburbanos e dois condados rurais. A história da cidade remonta a mais de três milênios. Como a última das quatro grandes capitais antigas da China, Pequim tem sido o centro político do país por grande parte dos últimos 800 anos. A cidade é famosa por seus opulentos palácios, templos, parques, jardins, túmulos, muralhas, portões, e por seus tesouros artísticos e universidades, que a tornaram um centro cultural na China.

 

Xangai é a maior cidade da República Popular da China e uma das maiores áreas metropolitanas do mundo, com mais de 20 milhões de habitantes. Localizada na costa central da China oriental, na foz do rio Yangtze, a cidade é administrada como um município chinês, com estatuto de nível de uma província. Originalmente uma vila cuja economia era baseada na pesca e no setor têxtil, Xangai ganhou importância no século XIX devido a localização favorável do seu porto e por ser uma das cidades abertas ao comércio exteriorpelo Tratado de Nanquim, em 1842. 

 

 

Passeios

1. Cidade Proibida

O complexo de palácios teve sua construção iniciada em 1406 pelo imperador Yongle, da Dinastia Ming. Um milhão de pessoas trabalharam durante 14 anos para finalizar a obra, que hoje é considerada Patrimônio da Humanidade pela Unesco. Durante 500 anos os palácios foram ocupados por 24 imperadores das dinastias Ming e Qing. E praticamente só por eles, suas famílias, altos oficiais, concubinas e serventes eunucos. 

 

2. Palácio de Verão

Um pouco afastado do centro da cidade, este é um dos complexos palacianos mais lindos de Pequim. Os jardins, repletos de pavilhões ao redor de um enorme lago (que congela no inverno), tem mais de 800 anos de idade, da época do primeiro imperador da dinastia Jin. Já o Palácio que servia de residência de verão para os imperadores não é original. Ele virou cinzas em 1900 e restaurado anos depois

 

3. Drum and Bell Towers

As torres do sino e do tambor, localizadas cem metros uma da outra, tiveram uma grande importância na China antiga. A do tambor data de 1272, dos tempos da Dinastia Yuan, e era a batida das sete da noite que indicava o horário oficial de ir para cama. A partir daí era hora do sino que tocava de duas em duas horas até as 5 da manhã, horário em que ambas as torres faziam a barulheira para que todos começassem seu dia. Apenas o principal dos 25 tambores sobreviveu aos séculos. Já o sino foi destruído pelo fogo e recuperado no século 18, funcionando até o último imperador deixar a Cidade Proibida.

 

4.  Praça da Paz Celestial

Do tamanho de 63 campos de futebol, Tian'anmen é a maior praça pública do mundo (acima, o local durante festejos dos 64 anos da fundação da República Popular da China, em 2013). Lotada o ano inteiro e especialmente viva no verão é um lugar imperdível para observar pessoas. Artistas fazendo performances, chineses chacoalhando patrióticas bandeirinhas. Na imensa praça há apenas duas construções, o Monumento dos Heróis do Povo, primeiro grande monumento inaugurado por Mao Tse-tung, em 1958, e o Chairman Mao's Mausoleum, onde está o corpo embalsamado do camarada. 

 

5. Templo do Céu

Construído pelo mesmo imperador Yongle, o responsável pela Cidade Proibida, o Templo do Céu é um dos melhores exemplos de arquitetura religiosa na China. São três edifícios principais, onde o imperador ia fazer suas rezas no solstício de inverno, para garantir uma boa colheita. Como preparação para tal cerimônia, ele chegava no dia anterior e permanecia em jejum na Hall of Abstinence, parte do complexo. Outro prédio curioso é o Hall of Prayer for Good Harvests: são 39 metros de altura, sustentados por 28 pilares, mas nenhum prego. Tão bacana quanto o complexo de templos é o parque que pertence ao anexo.

Cultura

Desde os tempos antigos, a cultura chinesa foi fortemente influenciada pelo confucionismo e por filosofias conservadoras. Durante grande parte da era dinástica do país, oportunidades de progresso social podiam ser alcançadas através de um alto desempenho nos prestigiosos exames imperiais, que foram instituídos em 605 d.C. para ajudar o Imperador a selecionar os burocratas mais hábeis. A ênfase literária dos exames afetou a percepção geral de refinamento cultural da nação, como a crença de que acaligrafia e a pintura literata eram formas superiores de arte do que a dança ou o teatro.

culinária chinesa é altamente diversificada, com base em vários milênios de história. Os imperadores das antigas dinastias chinesas eram conhecidos por promover banquetes com mais de cem pratos servidos em uma mesma ocasião, empregando funcionários da cozinha imperial e inúmeras concubinas para preparar a comida. Tais pratos reais gradualmente se tornaram parte de uma ampla cultura chinesa. O alimento básico é o arroz, mas o país também é conhecido pelos seus pratos com carne. Especiarias são endêmicas da culinária do país.

 

Programas para este país

LiveZilla Live Help